Receita Líquida da Oncoclínicas avança no 1T22

10:43:01 - 17/05/2022 -

SÃO PAULO, 5/17/22 - A Oncoclínicas (B3: ONCO3) registrou alta de 31,5% em sua receita líquida do primeiro trimestre de 2022 (1T22) quando comparado aos três primeiros meses de 2021 (1T21), atingindo a marca de R&'65284; 808 milhões. Na análise dos últimos 12 meses, o crescimento foi praticamente o mesmo, 32%, demostrando mais uma vez a resiliência das operações da Companhia, segundo dados divulgados pela Oncoclínicas ao mercado nesta segunda-feira (16/05).
O resultado sinaliza um crescimento consistente da Oncoclínicas, que desde sua chegada à Bolsa de Valores vem registrando uma expansão da receita de mais de 30% em todos os trimestres. No período de 12 meses terminados no 1T22, o crescimento orgânico da Receita Líquida foi de 22%.
A Margem Bruta sobre a Receita Líquida avançou quase 2 pontos porcentuais no primeiro trimestre de 2022: de 31,7%, no 1T21, para 33,6% no 1T22. Isso levou a um crescimento ainda maior do Lucro Bruto, que se expandiu em 39% ante o ano anterior.
Já o EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) Ajustado somou R$ 141 milhões nos meses de janeiro, fevereiro e março deste ano, comparado a R&'65284; 110 milhões na mesma base comparativa de 2021, o que representou uma expansão de 28%. Na fotografia dos últimos 12 meses acumulados terminados em março de 2022, este montante sobe para R&'65284; 512 milhões e uma margem de 17,7%, estável em relação ao mesmo período no ano passado.
O Lucro Líquido Ajustado, métrica que expurga o efeito de itens não caixa ou extraordinários, somou R$ 24,3 milhões no trimestre.
Equilíbrio entre crescimento orgânico e inorgânico
Os números referentes ao primeiro trimestre de 2022 refletem apenas parcialmente os movimentos de expansão feitos pela Oncoclínicas ao longo do ano de 2021 e início de 2022, uma vez que algumas aquisições relevantes ainda estão pendentes de fechamento (como Unity e Itaigara Memorial), enquanto outras foram concluídas no decorrer do primeiro trimestre (CAM / Clion e Cemise), não capturando ainda, portanto, as sinergias resultantes dos processos de integração, que nesses casos se encontram em estágio inicial.
Para Bruno Ferrari, fundador e CEO da Oncoclínicas, os resultados do 1T22 mostram um equilíbrio entre o sólido crescimento orgânico da Companhia e o bem sucedido processo de integração das aquisições concluídas até agora: 'Crescemos 31,5% em Receita Líquida no primeiro trimestre de 2022 contra o ano passado, sendo 12% organicamente, a despeito da variante Ômicron, que impactou o setor de saúde de forma bastante abrangente durante o mês de janeiro. Além disso, nossa margem de EBITDA Ajustado permaneceu em patamar semelhante ao do 1T21, mesmo com o impacto da entrada de CAM / Clion ao longo do trimestre, cujo processo de captura de sinergias ainda se encontra em fase inicial. 2022 tem sido e continuará sendo um ano de muito foco nos processos de ganho de eficiência e de disciplina financeira.'
(MR - Agência Enfoque)

Sites da Enfoque e Fausto Botelho desenvolvidos por Agilso.