IGP-10 sobe 2,32% em junho, mostra FGV

08:09:37 - 16/06/2021 - Notícias

SÃO PAULO, 6/16/21 - A Fundação Getulio Vargas (FGV) divulgou que o Índice Geral de Preços - 10 (IGP-10) subiu 2,32% em junho. No mês anterior, o índice havia apresentado taxa de 3,24%. Com esse resultado, o índice acumula alta de 15,31% no ano e de 36,94% em 12 meses. Em junho de 2020, o índice variara 1,55% no mês e acumulava elevação de 7,18% em 12 meses.

'A inflação ao produtor apresentou desaceleração e contribuiu para o recuo do IGP, mesmo assim, o IPA segue pressionado pelo aumento dos preços de commodities importantes. O recuo não foi mais intenso dado o aumento registrado nos preços de energia e gasolina, que impulsionaram a inflação ao consumidor. Na construção civil, reajustes na mão de obra também contribuíram para o avanço do INCC', afirma André Braz, Coordenador dos Índices de Preços.

Dentre os indicadores, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) subiu 2,64% em junho. No mês anterior, o índice havia registrado taxa de 4,20%.

Já o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) variou 0,72% em junho. Em maio, o índice havia apresentado taxa de 0,35%. Quatro das oito classes de despesa componentes do índice registraram acréscimo em suas taxas de variação: Transportes (-0,22% para 1,69%), Habitação (0,67% para 1,41%), Vestuário (0,09% para 0,83%) e Despesas Diversas (0,17% para 0,26%). As principais contribuições para este movimento partiram dos seguintes itens: gasolina (-1,03% para 3,16%), tarifa de eletricidade residencial (1,92% para 4,87%), roupas (0,06% para 1,06%) e alimentos para animais domésticos (1,17% para 2,70%).

Por fim, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 2,81% em junho. No mês anterior a taxa variara 1,02%. Os três grupos componentes do INCC registraram as seguintes variações na passagem de maio para junho: Materiais e Equipamentos (2,20% para 2,50%), Serviços (0,94% para 1,18%) e Mão de Obra (0,04% para 3,37%).
(MR - Agência Enfoque)

Sites da Enfoque e Fausto Botelho desenvolvidos por Agilso.