Índice de atividades turísticas recua em abril, mostra IBGE

09:54:24 - 11/06/2021 - Notícias

SÃO PAULO, 6/11/21 - Em abril de 2021, o índice de atividades turísticas recuou 0,6% frente ao mês anterior, após forte retração em março (-23,1%), mês em que houve um maior número de limitações ao funcionamento de determinados estabelecimentos, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O segmento de turismo, agora, ainda necessita crescer 81,9% para retornar ao patamar de fevereiro do ano passado.

A metade (6) das 12 UFs pesquisadas acompanharam o recuo nacional, com as principais influências negativas no Rio de Janeiro (-2,7%), Minas Gerais (-4,4%), Espírito Santo (-13,4%) e Bahia (-3,1%). Em sentido oposto, São Paulo (2,9%) exerceu o maior impacto positivo, seguido por Paraná (9,7%), Rio Grande do Sul (12,4%) e Santa Catarina (8,3%).

Frente a abril de 2020, o volume de atividades turísticas no Brasil subiu 72,6%, maior alta da série iniciada em 2012, após treze taxas negativas seguidas. O índice foi impulsionado, principalmente, pelo aumento na receita nos ramos de restaurantes; hotéis; transporte aéreo; rodoviário coletivo de passageiros; serviços de bufê; e locação de automóveis. As 12 unidades da Federação onde o indicador é investigado mostraram avanço nos serviços voltados ao turismo, com destaque para São Paulo (49,3%) e Rio de Janeiro (86,7%), seguidos por Bahia (123,1%), Minas Gerais (54,8%), Paraná (86,1%) e Pernambuco (127,4%).

No acumulado do ano, o agregado especial de atividades turísticas recuou 17,4% frente a igual período de 2020, pressionado, sobretudo, pelas reduções nas receitas dos ramos de transporte aéreo de passageiros; restaurantes; hotéis; agências de viagens; transporte rodoviário coletivo de passageiros; e serviços de bufê. Houve recuos nos 12 locais investigados, com destaque para São Paulo (-26,4%), Rio de Janeiro (-12,9%), Minas Gerais (-16,6%), Paraná (-17,3%), Ceará (-28,0%) e Rio Grande do Sul (-17,7%).
(MR - Agência Enfoque)

Sites da Enfoque e Fausto Botelho desenvolvidos por Agilso.